Novidades

O maior Carnaval de todos os tempos J. Carlos

Neste Carnaval lembramos do grande artista brasileiro J. Carlos, (Rio de Janeiro, 1884 /1950) que tanto nos encanta. Ele foi um chargista, ilustrador, designer gráfico, escultor, autor de teatro de revista, letrista de samba, e é considerado um dos maiores representantes do estilo art déco no design gráfico brasileiro

Entretanto foi como ilustrador, principalmente com os seus tipos da alta sociedade aos vagabundos, passando pelos foliões do carnaval carioca que o artista fez suas crônicas sociais e ganhou fama mundial. J. Carlos ilustrou a transformação social do Rio de Janeiro impulsionada pela reurbanização da cidade, que era conhecida no início do século XX como “Cidade da Morte” (pela má condição sanitária) antes de ser reverenciada como “Cidade Maravilhosa”. 

Justo nesses primeiros decênios do século XX, quando ocorria a transformação do Rio de Janeiro, que aconteceu o “Maior carnaval de todos os tempos”, como ficou conhecido o Carnaval de 1919. Tanta alegria tinha sua razão de ser. Três meses antes havia sido anunciado o fim da Primeira Guerra Mundial, que matou mais de 8 milhões de pessoas em todo o mundo, mas não era nada comparado aos 50 milhões que perderam a vida para a gripe espanhola, a epidemia que assolou o mundo e fez 40 mil mortes no Brasil. 

O Maior Carnaval de Todos os Tempos

Após tantos horrores, o carnaval de 1919 foi a vingança do homem contra o fim do mundo e culminou em uma mudança radical nas artes, literatura e de costumes, inaugurando uma era libertária e moderna que foi os anos 20. Nelson Rodrigues, que tinha 6 anos na época, ficou marcado pela festa e depois escreveu em seu livro  Memórias – A Menina Sem Estrela “O comportamento do homem e da mulher até princípios de 1919 era medieval, feudal ou que outro nome tenha, (..) tudo explodiu a partir do começo da folia. Desde as primeiras horas de sábado, houve uma obscenidade súbita, nunca vista, e que contaminou toda a cidade.” E foi durante o carnaval de 1919 que o escritor viu o umbigo de uma mulher pela primeira vez, das foliãs que, desfilando, abandonaram as rígidas regras de vestimenta. Por sorte a pandemia da gripe espanhola teve seu fim naquela quarta-feira de cinzas de 1919.

Carnaval de  2022: Não há tristeza que possa suportar tanta alegria

Mais de 100 anos se passaram e o carnaval continua a ser a festa da alegria. São infinitas as comparações nos artigos de jornais do que pode acontecer no carnaval deste ano de 2022 com o que aconteceu em 1919. A Escola de Samba campeã do Rio de Janeiro, a Viradouro vai fazer uma releitura do Carnaval de 1919  com o enredo “Não há tristeza que possa suportar tanta alegria” uma marchinha que ficou famosa naquele ano.

Carnaval em Búzios

Não importa se você quer cair na folia, se você prefere descansar no feriado ou se ainda não sabe o que fazer, na Vila do Mar tudo isso é possível! 

Venha passar seu carnaval vivendo Búzios como um buziano. A Pousada é um verdadeiro oásis entre o badalo da Rua das Pedras, os restaurantes da Orla Bardot e as praias no entorno. E você ainda pode assistir a um filme inédito no nosso charmoso cinema, o Cine Bardot*.

Aproveite o desconto promocional de 30% para o pacote de Carnaval. A oferta é válida só até o dia 24 de Janeiro. Mínimo de 5 noites.

* O Cine Bardot funciona de 5a a domingo, podendo sofrer alterações em sua programação sem aviso prévio.

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

O maior Carnaval de todos os tempos J. Carlos

Neste Carnaval de muitas incertezas trazemos uma homenagem ao grande artista brasileiro José Carlos de Brito

Festival Varilux de Cinema Francês no Cine Bardot

O Cine Bardot reabre as suas portas com o maior evento de filmes inéditos franceses fora da França, e os hóspedes da Vila do

Vida Longa para o Cine Bardot

O Cine Bardot, o único cinema de Búzios, busca ajuda dos amantes da cidade e da 7a arte para sobreviver à crise gerada pela